“ESTÁVAMOS ACOSTUMADOS COM VICE-PRESIDENTE POSTE” IRONIZOU BOLSONARO

Vice-Presidente Mourão e o Presidente Bolsonaro

Em café da manhã com jornalistas, nesta sexta-feira(26), o presidente Jair Bolsonaro fez questão de receber os profissionais no Palácio do Planalto, ao lado do vice Hamilton Mourão. Ele procurou desfazer o clima de desentendimento entre os dois. Vários assuntos polêmicos que têm dominado a pauta política do governo foram tratados. Sobre o vereador Carlos Bolsonaro, ele afirmou que o filho tem direito à liberdade de expressão, mas admitiu que tem tentado ‘contê-lo’. Bolsonaro amenizou o suposto comando de Carlos sobre suas redes sociais. Sobre Mourão, afirmou que o ‘casamento’ é até 2022 – no mínimo.

Encontro de Bolsonaro com jornalistas nesta manhã. FOTO: redes sociais Planalto

A seguir, destaques da entrevista de Bolsonaro aos jornalistas:

Sugestão de Leitura: www.mises.org.br

Desentendimentos com o vice e tuítes polêmicos:
Jair Bolsonaro recebeu os jornalistas ao lado do vice-presidente Hamilton Mourão, e procurou pôr panos quentes nos desentendimentos entre eles. Disse que seu filho, Carlos Bolsonaro, que nas redes sociais não tem poupado críticas a Mourão, “tem a liberdade de expressão dele”.

www.conferencia-ea.com.br

ntre eles. Disse que seu filho, Carlos Bolsonaro, que nas redes sociais não tem poupado críticas a Mourão, “tem a liberdade de expressão dele”.

Questionado sobre a atuação do filho na sua própria conta do Twitter, Bolsonaro disse que ele “tem colaborado”. A todo momento, Bolsonaro tocava no braço de Mourão, incentivando-o a falar. O vice-presidente, por sua vez, afirmou que “expressa sua opiniões” e que isso “faz parte do jogo”. Sobre os tuítes de Carlos, o vice-presidente disse, ainda, que “ele tem o direito de falar”, que faz críticas, e que com algumas ele concorda, com outras não, mas não quis dar exemplos específicos.

Democracia: Bolsonaro abriu o encontro dizendo que “em que pesem os percalços, não podemos apagar a chama da democracia”. Também destacou que não tem sede pelo poder, e que “está presidente até 2022” – último ano do mandato para o qual foi eleito.

Olavo de Carvalho: O presidente se restringiu a dizer que “algumas afirmações dele não estão colaborando”.

Previdência: aos jornalistas, o presidente se disse satisfeito com o resultado das votações na CCJ da Câmara. Afirmou, ainda, que tem conversado com o ministro da Economia Paulo Guedes. Ele chamou atenção dos jornalistas ao admitir que a economia com a reforma pode ser de R$ 800 bilhões, e que isso “já representaria um ponto de inflexão para o Brasil”. Os dados surpreendem, de certa forma, porque Guedes tem batido na tecla de R$ 1 trilhão em economia com as mudanças nas regras da aposentadoria no Brasil. 

Rodrigo Maia: Bolsonaro repercutiu as declarações do presidente da Câmara. Maia afirmou que o presidente deveria se envolver mais na tramitação do projeto. Ao que Bolsonaro ponderou: “não quero protagonismo, não. A bola está com o Rodrigo Maia”. E ainda arriscou a mudar o discurso sobre a nova política. Disse que não quer falar mais em velha ou nova política, mas em política.

Acordos em emendas: sobre os supostos R$ 40 milhões por parlamentar que seriam liberados em emendas em troca do apoio à nova Previdência, também adotou discurso de ponderação. Disse que é preciso ver se não tem orçamento impositivo misturado e acumulado em três anos. 

Preço dos combustíveis: Bolsonaro afirmou que o governo federal “toma pedradas” em relação ao tema, mas que “os grandes vilões são os estados e suas tarifas de ICMS”. “Mas não vou impor nada aos estados, tem que haver uma conscientização”, ponderou.

MP da liberdade econômica: Bolsonaro adiantou que o governo prepara o que chama de MP da Liberdade Econômica, um pacote de desburocratização para facilitar a vida dos empreendedores. Essa MP incluirá proposta de regulamentar agentes financeiros nos municípios, tecnicamente “empresa Simples de crédito”. Chegou a citar que isso seria uma forma de fazer frente aos agiotas, que atuam no microcrédito.

Reforma Trabalhista: Jair Bolsonaro elogiou a reforma feita no governo Temer, disse que ela já “melhorou um pouco” a vida dos empresários, “que antes perdiam toda e qualquer ação trabalhista”.

Projeto anticrime de Sergio Moro: Bolsonaro disse que prepara “um ou dois projetos de lei” adicionais ao projeto original do ministro, com o intuído de melhor proteger o policial em ação (na linha do excedente de ilicitude), que, segundo ele, projeto de Moro não contempla. Os PLs irão também deliberar sobre o uso de drones em operações policiais.

Milícias: o presidente afirmou que, no passado, “a população gostava das milícias”, num sentido de uma proteção, mas que hoje “viraram um braço do crime organizado e têm que ser combatidas”.

Ministro do Turismo e ‘laranjas’: sobre as denúncias envolvendo o atual ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, de que teria financiado candidaturas laranjas nas últimas eleições, ele disse que “aguarda um relatório mais robusto” da Polícia Federal. Bolsonaro aproveitou para afagar a PF, anunciando abertura de concurso para a categoria. 

Homenagem vetada em Nova York: Bolsonaro declarou que a homenagem é da Câmara de Comércio Brasil–Estados Unidos e que, claramente, o prefeito, que é anti-Trump, procurou intervir na questão do local. “Eu recebo na praia ou na praça”, minimizou.

Por: Richard Corrêa

Fonte: Agência Brasil

Publicado por Blog Foco News

Richard Corrêa, jornalista e publicitário natural de Curitiba Capital do Estado do Paraná, residiu, estudou e trabalhou também em Joinville, Santa Catarina. Atualmente reside e trabalha em Rio Branco, Acre

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: